segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Minha vida, o palco

Por Marlon Vila Nova

Em um trecho de sua autobiografia, Liv Ullmann descreve o que, para ela, é ser atriz. Ela começa citando várias situações que, vistas de fora, por alguém que não seja tão apaixonado pelo teatro quanto ela é, poderiam ser vistas como dificuldades diárias de uma rotina profissional.
Ter que acordar cedo, trabalhar em um lugar empoeirado, dividir com várias pessoas o espaço apertado de um camarim, o piso velho do palco, com as tábuas empenadas... Para alguém que nunca viveu a emoção de estar em um palco, tudo isso pode parecer horrível, mas para nós, artistas, é o lugar no mundo onde mais queremos estar.
Emprestar meu corpo e voz para dar vida a um personagem com emoções que, às vezes, eu nunca vivi. A excitação dos minutos que antecedem, a tensão de carregar tanta responsabilidade, a satisfação de ser ovacionado no final.
Para muitos, a absorção completa de uma profissão só acontece depois de muitos anos de carreira. Para mim, um iniciante, a certeza de que o palco será para sempre necessário para minha felicidade, surgiu desde o primeiro momento em que pisei em um.

*Texto inspirado na autobiografia de Liv Ullmann, "Mutações"

Um comentário:

railer disse...

bacana esse texto.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...